País

Autorizada instalação de 216 câmaras de vigilância em Lisboa

Tyrone Siu

O sistema de videovigilância abrange 16 zonas da cidade.

O secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, autorizou esta segunda-feira a instalação de 216 câmaras de videovigilância no município de Lisboa. O objetivo é garantir a segurança de “pessoas e bens” em locais de risco para a prática de crimes.

O sistema de videovigilância abrange 16 zonas da cidade: Praça do Comércio, Cais das Colunas, Praça D. Pedro IV, Praça dos Restauradores, Praça da Figueira, Rua Augusta, Rua Áurea, Rua da Prata, Rua dos Fanqueiros, Rua do Comércio e restantes transversais, Avenida Ribeira das Naus, Cais do Sodré, Santa Apolónia – Rua dos Caminhos de Ferro e Avenida D. Afonso Henriques, Campo das Cebolas e Miradouro de Santa Catarina.

Em comunicado, o Ministério da Administração Interna informa que o uso das câmaras segue as recomendações da Comissão de Proteção de Dados, nomeadamente garantindo os direitos de acesso e eliminação e o barramento dos locais privados, impedindo a visualização de portas, janelas e varandas.

O sistema irá funcionar 24 horas por dia, todos os dias da semana e permitirá a captação e gravação de som “sempre que se verifique uma situação de perigo concreto”. A autorização para o seu funcionamento é válida por dois anos.

O ministério informa ainda que a responsabilidade pela conservação e tratamento dos dados está a cabo do chefe da área operacional do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

  • O bicho homem em quatro episódios

    Opinião

    Gostava muito de partilhar o otimismo de Attenborough e de Bregman. Mas depois há episódios como o da Superliga. Ou o das vacinas concentradas no hemisfério Norte. E a esperança esvai-se. Como as superfícies geladas do Ártico no verão.

    Cristina Figueiredo