País

Tragédia de Entre-os-Rios. Padre da Raiva evoca "vítimas da incompetência"

O monumento "Anjo de Portugal" em memória das vítimas de Entre-os-Rios em Castelo de Paiva

JOSÉ COELHO

Na freguesia da Raiva residiam 34 das 59 pessoas que morreram em consequência da queda da Ponte Hintze Ribeiro, há 20 anos.

O pároco da Raiva, a freguesia de Castelo de Paiva mais enlutada há 20 anos pela tragédia da ponte de Entre-os-Rios, celebrou hoje uma missa em memória das 59 "vítimas da indiferença, incompetência e inconsciência".

Na freguesia da Raiva residiam 34 das 59 pessoas que morreram em consequência da queda da Ponte Hintze Ribeiro, em 04 de março de 2001, e a evocação da data incluiu um serviço religioso na igreja daquela localidade, transmitido 'online'.

"Elevamos a nossa oração até Deus para que receba essas 59 almas vítimas da indiferença, da incompetência, da inconsciência daqueles que tinham nas suas mãos o poder de alterar tão fatídico destino", afirmou o padre Tiago Santos durante a homilia.

Ainda assim, o sacerdote católico recusou fazer daquela celebração um "avivar a profunda ferida que continua aberta, não só naqueles que perderam algum familiar, mas também em toda comunidade".

A celebração, serviu, "isso sim, para, à luz da palavra e da presença real de Deus, alimentar todo o nosso ser para que, deste modo revigorados, continuarmos a trilhar o caminho de salvação".

A missa foi transmitida 'online', podendo rever-se no endereço https://www.facebook.com/Castelodepaivatv/videos/1333366550361984.

A evocação do 20.º aniversário da tragédia vai completar-se à tarde, em Entre-os-Rios, com o lançamento de flores ao rio, em homenagem às vítimas.

A estrutura centenária que ligava Eja (Penafiel, Porto) a Sardoura (Castelo de Paiva, Aveiro) ruiu às 21:10 de 04 de março de 2001 e as operações de resgate só permitiram recuperar 23 dos 59 corpos.