País

Centro de Apoio ao Sem Abrigo. Pedidos de ajuda aumentaram 40% com a pandemia

Sobretudo de famílias que perderam o emprego.

Os pedidos de ajuda ao Centro de Apoio ao Sem Abrigo aumentaram 40% desde o início da pandemia. Chegaram sobretudo de famílias que perderam o emprego. Ao todo, o CASA apoia agora 1.864 agregados familiares.

No que diz respeito às pessoas em situação de sem abrigo, o aumento também foi significativo. O centro sinalizou mais 73% dos casos face aos números pré-pandemia. Canalizar a ajuda tem sido uma das dificuldades.

"Comida e roupa não faltam, o problema é que muitas vezes as pessoas não sabem o caminho para essa ajuda", explicou João Fernandes, vice-presidente do CASA.

Com as regras de confinamento e restrições à circulação o acesso aos cabazes alimentares diminuiu. Mas ainda assim, o número de refeições quentes distribuídas pelo centro de apoio aumento quase 23%.

Com a pandemia ainda por controlar, o CASA teme que estes números se agravem, e por isso todas as ajudas são bem-vindas. Uma forma de apoiar pode se através da consignação do IRS.

Veja também:

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão