País

Mais de 200 crianças em risco estão em famílias de acolhimento

Instituto de Segurança Social e Santa Casa da Misericórdia de Lisboa querem aumentar o número de famílias voluntárias.

Em Portugal, há mais de 200 crianças em famílias de acolhimento. São menores em risco e foram retirados, provisoriamente, aos pais. O Instituto de Segurança Social e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa preparam-se para fazer uma campanha nacional para captar mais voluntários que queiram acolher estes menores.

Em todo o processo há duas equipas: uma que acompanha a criança e outra a família biológica. Na Grande Lisboa é a Santa Casa da Misericórdia que está responsável pela gestão dos casos identificados. O número de famílias têm vindo a aumentar.

As alterações recentes à lei do acolhimento familiar vieram facilitar o processo. É agora permitido que a criança faça parte do agregado para efeitos fiscais e quem acolhe passou a poder ter faltas justificadas ao trabalho – como qualquer progenitor. Pessoas que tenham laços biológicos, como é o caso, por exemplo, dos tios, deixaram de poder ser família de acolhimento.