País

Parlamento unânime no pesar pela morte do autarca de Viseu

TIAGO PETINGA/LUSA

"Almeida Henriques destacou-se como um exemplo de determinação e combatividade em tudo o que se envolveu."

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira, por unanimidade, um voto de pesar apresentado pelo PSD pela morte do presidente da Câmara de Viseu, António Almeida Henriques, no domingo, aos 59 anos, vítima de covid-19.

"Almeida Henriques destacou-se como um exemplo de determinação e combatividade em tudo o que se envolveu. Otimista militante, ambicionou sempre 'fazer diferente' e deixar uma marca pessoal nos projetos em que participou como político e dirigente associativo", refere o voto, a cuja leitura assistiram, nas galerias do parlamento, membros da família e a atual presidente em exercício da Câmara de Viseu, Conceição Azevedo.

Os sociais-democratas recordam que, apesar de ser advogado de profissão, foi no mundo empresarial que "realiza grande parte da sua vida ativa".

"O reconhecimento do mérito da sua dinâmica empreendedora levou a que fosse agraciado, em janeiro de 2006, com a comenda da Ordem Civil do Mérito Agrícola, Industrial e Comercial", destaca o texto, que lembra ainda a sua "participação muito ativa" em diversas instituições culturais, sociais e científicas da cidade e região de Viseu.

Aos 14 anos adere ao PSD, "o seu partido de sempre", e foi nesta bancada que foi deputado à Assembleia da República, entre 2002 e 2013.

"Granjeou o respeito e admiração de parlamentares de todos os quadrantes políticos, tendo sido Vice-Presidente do Grupo Parlamentar, Vice-Presidente da Comissão de Assuntos Económicos e Vice-Presidente da Delegação da OSCE", acrescenta o voto.

Eleito pelo círculo eleitoral de Viseu, de que foi cabeça de lista, "defende acerrimamente o seu distrito e o interior do país, sempre em busca de maior justiça e coesão social e territorial".

Almeida Henriques exerceu funções como secretário de Estado Adjunto da Economia e do Desenvolvimento Regional no XIX Governo liderado por Pedro Passos Coelho, mas acaba por deixar o cargo para se candidatar a Presidente da Câmara Municipal de Viseu, para que foi eleito em outubro de 2013.

"Nos seus dois mandatos à frente do município de Viseu, implementa, orgulhosamente, uma estratégia para o território sob o mote 'Viseu Primeiro', rasga novos horizontes, catapulta o concelho para os desafios da inovação e do futuro e mantém Viseu com a chancela de melhor cidade para viver", destaca o voto do PSD, recordando que também desempenhava funções como vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).

O voto termina referindo que "Viseu e o país perderam um dos seus melhores", exortando que "o seu exemplo sirva de estímulo para a construção de uma sociedade mais justa, mais fraterna e mais humana".

"A Assembleia da República aprova um voto de pesar pela morte de Almeida Henriques e apresenta sentidas condolências à sua família e a todos os que sentem profundamente a sua ausência", lê-se no texto aprovado por unanimidade.