País

Quatro crianças feridas em queda de poste de madeira na escola primária de Mansores, Arouca

Eurico Bastos

Eurico Bastos

Repórter de Imagem

Uma das crianças está internada no Hospital de São João, no Porto, estável, com prognóstico reservado.

As crianças faziam o caminho da escola Serra da Vila para a cantina, mesmo em frente e foi precisamente, quando faziam esse pequeno trajeto que caiu um poste de madeira que estava no recinto.

Quatro crianças, com idades entre os sete e os nove anos, ficaram feridas. Três de forma ligeira, foram depois observadas no hospital de Santa Maria da Feira. Duas tiveram alta ainda durante a tarde desta quarta-feira.

A quarta criança que sofreu ferimentos mais graves seguiu para fazer exames no hospital de São João no Porto. A criança internada no Hospital de São João, no Porto, estava ao final desta quarta-feira, ainda em exames e avaliação médica - estável, com prognóstico reservado.

A GNR também esteve no recinto da escola e vai averiguar o que terá provocado a queda do poste.

  • Confidentes de alunos e cúmplices de professores: o braço contínuo

    País

    Chamam-lhes “funcionários” porque funcionam. A expressão até parece sugerir que eles são os únicos que “funcionam”, dentro de uma escola. Acalmem-se os tolos. Significa apenas que os “assistentes operacionais”, ou “auxiliares de ação educativa”, títulos mais pomposos do que “contínuos” – expressão que estimo muito - são pau para toda a colher.

    Opinião

    Rui Correia

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros