País

APAV já ajudou 1.600 crianças vítimas de violência sexual

Mais de metade dos casos aconteceram dentro da família.

Quase 1.600 crianças e jovens vítimas de violência sexual receberam nos últimos cinco anos a ajuda da APAV. O número tem crescido, em particular no último ano, devido ao fenómeno dos crimes online. Com o confinamento as crianças usaram mais a internet e com menos supervisão.

De acordo como o relatório da rede Care, as crianças e jovens ficaram mais expostas a crimes como a pornografia ou aliciamento de menores. Foram também identificados casos em que o agressor ameaçou divulgar fotos de cariz sexual se não lhe fossem enviadas mais imagens ou até dinheiro.

Os dados da APAV mostram que metade dos casos de violência sexual aconteceu dentro da família. Em muitos outros, o agressor era conhecido da vítima e, em quase 80 por cento dos casos, a vítima era do sexo feminino. Pelo contrário, em 90 por cento dos os agressores eram homens.