País

Eduardo Cabrita está a ultimar programas de financiamento para bombeiros concorrerem a mais meios

NUNO VEIGA

Garantia do ministro da Administração Interna, este sábado, em Santa Maria da Feira.

O ministro da Administração Interna declarou este sábado em Santa Maria da Feira que está a ultimar os programas de financiamento a que bombeiros e outras entidades da Proteção Civil poderão candidatar-se para reforço dos seus meios de intervenção.

"Quer numa dimensão nacional, de gestão de riscos, quer numa dimensão dos chamados programas regionais, estamos a construir um modelo em que ambas essas componentes integram mecanismos aos quais as associações de bombeiros e o sistema de proteção civil poderão apresentar candidaturas", declarou Eduardo Cabrita.

As declarações de Eduardo Cabrita foram proferidas à margem das celebrações dos 100 anos dos Bombeiros Voluntários de Santa Maria da Feira. A iniciativa integrou a inauguração de um mural de arte urbana alusivo ao aniversário, por encomenda do Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira, e inclui também aquela que o governante destacou como a sua primeira sessão comemorativa de 2021 com corporações de bombeiros.

Foi nessa cerimónia, perante uma audiência com cerca de 90 pessoas dispostas por lugares intercalados, que o presidente da Câmara da Feira desafiou o ministro a financiar a aquisição de autoescadas para as três corporações desse município do distrito de Aveiro. Se a tutela concretizar esse financiamento, o compromisso de Emídio Sousa é que a autarquia "suportará a componente nacional da despesa" - que, no global, está estimada em cerca de 1,5 milhões de euros.

Eduardo Cabrita não quis pronunciar-se sobre "questões concretas e pontuais" sobre o apoio a instituições específicas, mas, quando questionado sobre o assunto, afirmou: "Aquilo que nós temos no Plano de Recuperação e Resiliência, que já está apresentado à Comissão Europeia, e no quadro financeiro plurianual, que não está ainda concluído mas se encontra em fase muito adiantada, é uma dimensão muito significativa de reforço das estruturas de proteção civil nas suas várias componentes".

O ministro disse que esse reforço abrange diferentes áreas de intervenção, nomeadamente as relativas a "estruturas de bombeiros, gestão da floresta e meios aéreos" - todas "já consagradas no PRR e igualmente no [novo] quadro financeiro plurianual" para a Área dos Assuntos Internos para 2021-2027.

Eduardo Cabrita realçou ainda que continuam a finalizar-se investimentos apoiados ao abrigo do anterior quadro de financiamento, como é o caso do novo quartel dos Bombeiros Voluntários de Espinho, a inaugurar no próximo fim-de-semana.

"Estamos a executar o quadro 2014/2020 e não vamos perder nenhum recurso. Temos, um pouco por todo o país, dezenas de apoios que estão a ser concluídos num quadro financeiro que vai até 2020, mas que, em bom rigor, permitirá pagar despesa realizada até 2023", concluiu.