País

Funeral de Carlos Bernardes realiza-se na quinta-feira

Autarca de Torres Vedras foi encontrado morto em casa na segunda-feira.

O funeral do presidente da Câmara de Torres Vedras, Carlos Bernardes, encontrado morto em casa na segunda-feira, realiza-se na quinta-feira, com missa presidida pelo Cardeal Patriarca de Lisboa, informou esta terça-feira o município.

Em comunicado, esta autarquia do distrito de Lisboa deu conta que o velório se realiza entre as 18:00 e as 22:00 de quarta-feira e das 09:00 às 10:30 de quinta-feira na Igreja de Nossa Senhora da Graça, em Torres Vedras.

Na quinta-feira, pelas 10:30, o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, também natural de Torres Vedras, preside à missa de corpo presente, seguindo-se um cortejo até ao edifício da Câmara Municipal de Torres Vedras, onde o autarca será homenageado.

Depois, o corpo segue para a igreja de Santa Maria Madalena e daí para o cemitério, ambos no Turcifal, freguesia onde residia, sendo a cerimónia reservada à família.

Encontrado morto com ferimentos de arma branca no pescoço

O presidente da Câmara de Torres Vedras, Carlos Bernardes, foi encontrado morto em casa na segunda-feira, estando as circunstâncias em que ocorreu a morte a ser investigadas pela Polícia Judiciária.

Carlos Bernardes, de 53 anos, foi encontrado morto numa cama na sua residência, no Turcifal, com ferimentos de arma branca no pescoço. Foi encontrada também uma faca junto ao corpo.

Em março, a comissão política de Torres Vedras do PS aprovou a recandidatura de Carlos Bernardes à presidência do município, no distrito de Lisboa, nas autárquicas deste ano.

"Dentro da minha disponibilidade, continuo a servir o partido e a minha terra", afirmou então o autarca, prometendo um "trabalho de continuidade" e apontando as prioridades do próximo mandato.

Carlos Bernardes ganhou pela primeira vez a corrida à presidência da câmara em 2017 e foi vice-presidente entre 2005 e 2015.

Em 2015, assumiu o cargo de presidente quando o então líder do executivo, Carlos Miguel, renunciou ao mandato para assumir funções no Governo.