País

Google lança iniciativa para apoiar mulheres e grupos subrepresentados em Portugal

Primeira sessão será o Atelier Digital "com foco em mulheres".

A Google anunciou hoje, dia da Cimeira Social no âmbito da presidência portuguesa, o lançamento de uma iniciativa para apoiar mulheres e grupos subrepresentados em Portugal, que inclui 10 sessões #IamRemarkable até ao final do ano.

"Uma das prioridades da Cimeira Social é tentar diminuir as desigualdades no mercado de trabalho entre homens e mulheres e, pensado nisso, anunciamos" esta iniciativa, em que a primeira sessão será o Atelier Digital "com foco em mulheres", disse à Lusa a responsável por políticas públicas da Google, Helena Martins.

O Atelier Digital é um programa que a Google já desenvolve em Portugal, contando com "mais de 100.000 portugueses" formados neste âmbito, "mas nunca fizemos um Atelier Digital com foco em mulheres e vamos trazer isso para Portugal, em colaboração com o Centro Coordenador dos Institutos Politécnicos", explicou.

Além disso, "vamos trazer o #IamRemarkable, que basicamente é um 'workshop' que tem como objetivo desenvolver 'soft skills' para ajudar mulheres e pessoas de grupos subrepresentados, como LGBT, a poderem avançar nas suas carreiras", acrescentou Helena Martins.

Nas 10 sessões da #IamRemarkablie, que se dirige a comunidades como LGBTQI+ em Portugal, a Google vai trabalhar com parceiros e definir datas com eles, sendo um deles a ILGA.

"Uma das coisas que percebemos quando esse programa foi lançado é que as mulheres tinham dificuldade de falar dos seus sucessos, das suas qualidades e, assim, avançar nas suas carreiras", disse a responsável.

"Este 'workshop' #IamRemarkable tem como objetivo isso: justamente trazer esse debate, é um 'workshop' que traz exercícios para as pessoas, é bastante intimista, para desenvolver essa consciência das ferramentas práticas a que as pessoas podem recorrer para falar das suas qualidades e das coisas boas que fizeram ao longo da carreira", salientou.

Ou seja, #IamRemarkable é uma iniciativa para capacitar mulheres e grupos subrepresentados a falar abertamente sobre as suas realizações no local de trabalho, quebrando, assim, as normas de modéstia ou preconceitos, de acordo com a Google.

Helena Martins defendeu que é importante que "ninguém" fique para trás, pelo que, além dos programas de competências digitais lançados pela Google, lança hoje esta iniciativa dirigida a mulheres e grupos subrepresentados para apoiar uma transição digital inclusiva.

As sessões serão em formato digital, tendo em conta o momento pandémico que se atravessa.

Em 29 de setembro, o Governo e a Google Portugal assinaram um memorando de entendimento que visa a recuperação económica e a aceleração da transição digital, em que as competências digitais e empregabilidade são o foco.