País

Greve do SEF. Passageiros retidos durante várias horas no aeroporto de Lisboa

Pedro Cardoso

Pedro Cardoso

Repórter de Imagem

Filipe Ferreira

Filipe Ferreira

Repórter de Imagem

Sindicatos dizem que a adesão é de quase 100% em todo o país. No aeroporto Humberto Delgado, apenas seis trabalhadores estão a assegurar o serviço.

Os inspetores e funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) estão esta sexta-feira em greve contra a extinção da entidade. Os sindicatos dizem que a adesão está próxima dos 100% em todo o país e está a ter impacto sobretudo nos aeroportos, onde durante o dia se formaram filas de dezenas de pessoas.

Em Lisboa, apenas seis inspetores do SEF estão a assegurar os serviços mínimos, na zona de controlo de passageiros, onde normalmente estão a trabalhar 30 funcionários em simultâneo.

"Duas horas à espera, foi tão cansativo, nem consigo explicar", desabafa Sheila Oliveira, quando finalmente consegue chegar junto da avó. "Eram todos uns em cima dos outros, a querer sair dali. Era um calor que não se aguentava", explica a jovem, que aterrou no aeroporto Humberto Delgado às 11:00, vinda de Londres.

Luís Fraga, outro passageiro vindo de Londres conta que o aeroporto "está o caos". "As pessoas a começar a gritar, a pedir água. Eu vi pessoas idosas, pelo menos duas, a serem assistidas pela Cruz Vermelha", acrescenta.