País

Inspetores do SEF acusados da morte de Ihor Homeniuk conhecem hoje acórdão 

Ucraniano foi espancado no aeroporto de Lisboa. Autópsia revela morte lenta e agonizante.  

A decisão do tribunal sobre o caso da morte de Ihor Homeniuk é conhecida esta segunda-feira.

Três inspetores do SEF estão acusados de espancar e torturar o ucraniano de 40 anos. Ihor Homeniuk morreu dois dias depois de aterrar em Portugal, no centro de detenção do aeroporto de Lisboa.

O ucraniano chegou ao aeroporto de Lisboa a 10 de março de 2020. Assim que foi parado pelo SEF, disse que veio para Portugal procurar trabalho. Estaria sem documentação válida e, por isso, ficou detido no centro de instalação temporária. Na manhã do dia 12, Bruno Sousa, Luís Silva e Duarte Laja entraram na sala médica do aeroporto, onde estava o ucraniano.

A autópsia revela que o homem teve uma morte lenta e agonizante, que se deveu às fraturas provocadas pela pancada e à posição em que foi deixado, de barriga para baixo com as mãos algemadas atrás das costas.

Ihor Homeniuk ficou naquela posição durante mais de oito horas. Morreu ao final da tarde do dia 12.