País

Processo "O Negativo". Início da instrução começou 1 ano e meio depois da acusação

Caso envolve negócio de venda de plasma humano.

Começou esta terça-feira a instrução do processo "O Negativo", conhecido como Máfia do Sangue.

O caso envolve o antigo administrador da Octapharma, Lalanda e Castro, e o ex-presidente do INEM Cunha Ribeiro. Estão acusados de corrupção no negócio da distribuição de plasma para os hospitais portugueses.

Há ano e meio foi acusado de corrupção. Agora Paulo Lalanda e Castro vem a tribunal tentar travar a ida a julgamento do processo em que é o principal arguido.

Antigo administrador da Octapharma, Paulo Lalanda e Castro está acusado de ter corrompido, entre outros arguidos, o ex-presidente do INEM Luís Cunha Ribeiro.

O Ministério Público fala de dois apartamentos, um carro, viagens e dinheiro para condicionar o sentido de voto do júri que atribuiu à farmacêutica suíça o monopólio da distribuição de plasma humano para os hospitais portugueses.

O processo tem sete arguidos acusados de corrupção, branqueamento de capitais, recebimento indevido de vantagem e falsificação de documento, num negócio que terá lesado o Estado em cerca de 100 milhões de euros.

Depois da fase de instrução da Operação Marquês, Ivo Rosa conduz, agora, a mesma fase processual no caso em que o principal arguido chegou a ser patrão de José Sócrates quando o ex-primeiro-ministro foi consultor da farmacêutica.

O Tribunal da Relação de Lisboa manteve o juiz à frente do caso, depois das procuradoras do Ministério Público terem pedido o afastamento por alegada parcialidade. As magistradas não apareceram no primeiro dia de instrução.