País

Apanha da cereja. Fundão aposta na criação de condições para acolher imigrantes

Filipe Barbosa

Filipe Barbosa

Repórter de Imagem

Imigrantes chegam da Bulgária, Roménia, Índia e Nepal.

Grande parte dos trabalhadores sazonais são estrangeiros. Chegam da Bulgária, Roménia, Índia e Nepal. São recrutados, na maioria dos casos, através de empresas de trabalho temporário com contratos ao ritmo das colheitas, 3 meses em média, mas há quem fique por mais tempo.

O ordenado base é o salário mínimo nacional, mas o rendimento mensal poderá chegar aos 900 euros contabilizando as horas extraordinárias e prémios de produtividade em algumas explorações agrícolas.

A região tem apostado na criação de condições para acolher os imigrantes na tentativa de controlar situações de exploração laboral. A autarquia do Fundão criou há cerca de cinco anos um centro de acolhimento de trabalho temporário e há casos de empresas de recrutamento de trabalhadores que asseguram estadias e dão apoio jurídico.