País

Encontrada com vida criança desaparecida em Proença-a-Velha. Está estável, mas desidratada

Noah com o pai.

Noah estava desaparecido há mais de 36 horas.

Noah, o menino de dois anos e meio que estava desaparecido desde quarta-feira em Proença-a-Velha, foi encontrado com vida na tarde desta quinta-feira por um grupo de populares. A criança já foi submetida a uma avaliação médica, está estável, mas desidratada e "com escoriações".

Noah foi, entretanto, transportado para o Hospital de Castelo Branco, onde ficará internado pelo menos até à manhã desta sexta-feira, altura em que será reavaliado o seu estado de saúde. Os pais acompanharam a criança.

Está "debilitado", mas "estável, bem-disposto e muito falante"

Armindo Jacinto, presidente da Câmara de Idanha-a-Nova, explicou, em entrevista à SIC, que o menino foi encontrado num ponto de interceção entre três localidades: Proença-a-Velha, Idanha-a-Velha e Medelim.

Armindo Jacinto garante que a criança foi assistida e está a ser acompanhada.

"Está estável, debilitada e a ser acompanhada", afirma, acrescentando que, apesar de algumas escoriações, está "bem-disposta e muito falante".

Noah terá percorrido mais de 10 quilómetros

A repórter da SIC no local, Madalena Ferreira, conseguiu apurar que o menino foi encontrado perto de Medelim, a cerca de sete quilómetros da casa onde vive com a família. Fonte dos Bombeiros disse à SIC que foi uma popular quem encontrou a criança.

"Existe a possibilidade de ter percorrido uma distância de 10 quilómetros", disse aos jornalistas o responsável das operações de busca.

O menino tinha desaparecido entre as 5:30 e as 8:00 da manhã de quarta-feira, entre a saída do pai para o trabalho e o alerta da mãe. A população e alguns estrangeiros juntaram-se para apoiar as operações de busca.

Nas últimas horas tinham sido encontradas peças de roupa da criança, nomeadamente uns calções, uma fralda e uma bota, a cerca de 800 metros de onde tinha sido encontrada a t-shirt que o menino usava. A camisola estava junto a uma margem do rio Torto e as restantes peças de roupa foram encontradas do outro lado da margem.

Família diz que destino de Noah seria campos agrícolas onde o pai trabalhava

Os pais garantem que a criança de dois anos e meio estava habituada a sair sozinha para o que dizem ser curtos percursos.

Na versão da família, a criança de dois anos e meio saiu por uma porta - que era habitual estar destrancada - e seguiu por uma estrada de terra batida apenas acompanhado do cão da família. O destino seriam os campos agrícolas onde o pai - uruguaio a viver em Portugal há vários anos - trabalhava.

Mas de acordo com o relato da família a criança não chegou a ver o pai nessa manhã.

Nas operações participaram militares da GNR, bombeiros, proteção civil municipal, sapadores florestais e voluntários, com apoio de equipas cinotécnicas, drones e mergulhadores.

"Possível intervenção criminosa foi sempre uma hipótese que tivemos em cima da mesa"

José Monteiro, diretor da Polícia Judiciária da Guarda, reconheceu esta quinta-feira, na Edição da Noite da SIC Notícias, que um possível cenário de crime esteve "em cima da mesa".

José Monteiro explica que foi a GNR que comunicou o desaparecimento à Polícia Judiciária e que, a partir daí, a operação seguiu duas vertentes: a de busca e salvamento, que foi a prioritária, e a de investigação criminal, uma vez que não se sabia a causa do desaparecimento.

"Possível intervenção criminosa foi sempre uma hipótese que tivemos em cima da mesa", reconhece o diretor da PJ da Guarda.