País

"Possível intervenção criminosa foi sempre uma hipótese que tivemos em cima da mesa"

Entrevista SIC Notícias

José Monteiro, diretor da Polícia Judiciária da Guarda, em entrevista na SIC Notícias.

José Monteiro, diretor da Polícia Judiciária da Guarda, reconheceu esta quinta-feira, na Edição da Noite da SIC Notícias, que um possível cenário de crime esteve "em cima da mesa", no caso de Noah, a criança de dois anos e meio que esteve desaparecida em Proença-a-Velha.

Noah foi encontrado com vida na tarde desta quinta-feira por um grupo de populares. A criança já foi submetida a uma avaliação médica, está estável, mas desidratada e "com escoriações". Estava desaparecida desde a manhã de quarta-feira.

O responsável diz que a operação correu bem e congratula a Polícia Judiciária e a GNR pelo trabalho em conjunto.

José Monteiro explica que foi a GNR que comunicou o desaparecimento à Polícia Judiciária e que, a partir daí, a operação seguiu duas vertentes: a de busca e salvamento, que foi a prioritária, e a de investigação criminal, uma vez que não se sabia a causa do desaparecimento.

A vertente de busca e salvamento foi sobretudo desempenhada pela GNR, "que fez um trabalho notável", esclarece o responsável. Em paralelo, decorreu a investigação criminal, "que não pode ser feita de forma sobressaltada", e faz-se "indo para o terreno, contactando com as pessoas e analisando todos os cenários e contextos", explica.

"Possível intervenção criminosa foi sempre uma hipótese que tivemos em cima da mesa", reconhece o diretor da PJ da Guarda.

  • Dentro do coração
    4:23

    Futuro Hoje

    Há 7 anos no Futuro Hoje mostrámos pela primeira vez um pacemaker que se instala dentro do coração. Em Portugal há muitas pessoas a quem este aparelho salvou a vida. Só o Dr. Diogo Cavaco, cardiologista que introduziu esta técnica no país, já instalou mais de cem aparelhos destes.