País

Noah só terá alta quando estiveram garantidas as questões físicas, mentais e sociais 

Criança de 2 anos está estável e fora de perigo. 

Noah, a criança de dois anos que esteve desaparecida em Proença-a-Velha, está internado desde quinta-feira no Hospital de Castelo Branco, onde continua sob observação e a ser submetido a vários exames.

A criança só terá alta quando estiverem garantidas as questões físicas, mentais e sociais, como explica a repórter Ana Filipa Nunes.

Noah está estável, mas ainda sob observação e os médicos só lhe devem dar alta no domingo.

Para além da desidratação, tinha algumas escoriações, mas “nada de preocupante”, informou a equipa médica que recebeu o menino.

Noah esteve desaparecido durante 36 horas em Proença-a-Nova. Terá percorrido 10 quilómetros descalço e em terreno muito difícil, numa zona de mato.

CPCJ DE IDANHA-A-NOVA ACOMPANHA CASO DE NOAH

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Idanha-a-Nova está a acompanhar o caso de Noah.

A situação está a ser analisada em conjunto com as autoridades judiciais.

A presidente da CPCJ de Idanha-a-Nova, Ivone Rente, diz que o envolvimento da comunidade local, voluntários e das autoridades foi essencial para o desfecho do caso.

Noah foi encontrado na quinta-feira, pouco antes das 20:00, num "setor de busca que foi alargado", a quatro quilómetros de casa (em linha reta), ainda na zona de Proença-a-Velha, mas muito próximo da povoação de Medelim.

Nas operações participaram militares da GNR, bombeiros, proteção civil municipal, sapadores florestais e voluntários, com apoio de equipas cinotécnicas, drones e mergulhadores, que estiveram a vistoriar poços e linhas de água.

Dezenas de voluntários, muitos deles estrangeiros, também participaram nas buscas