País

Noah vai continuar internado até que estejam “garantidas condições” para ter alta

Criança e pais estão a receber apoio psicológico.

O bebé de dois anos que esteve desaparecido em Proença-a-Velha está fora de perigo. Noah vai continuar internado no Hospital de Castelo Branco, mas os médicos garantem que está estável, apesar da desidratação e dos ferimentos ligeiros.

A criança foi encontrada por populares ao início da noite de quinta-feira, depois de mais de um dia de buscas e 36 horas depois de desaparecer de casa. Pouco depois de ser encontrado, foi encaminhado para o Hospital de Castelo Branco.

Para além da desidratação, tinha algumas escoriações, mas “nada de preocupante”, informou a equipa médica que recebeu o bebé, acompanhado pelos pais, tendo ficado internado na pediatria com a mãe.

Apesar do cenário estável, o hospital não avança ainda com previsão de alta.

“Têm de estar garantidas condições de nutrição e que haja estabilidade do ponto de vista de da mãe e do pai para a ter em casa.”

Criança e pais estão a receber apoio psicológico e dos serviços sociais no hospital. Noah foi também sujeito a perícias médico-legais necessárias para a investigação às circunstâncias do desaparecimento.

Noah esteve desaparecido mais de 30 horas

A criança terá desaparecido na quarta-feira da casa dos pais, situada a cerca de 1,5 quilómetros do núcleo central da localidade de Proença-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova, e esteve desaparecida durante mais de 30 horas.

Depois de uma operação de busca em larga escala, o menino foi encontrado na quinta-feira, pouco antes das 20:00, num "setor de busca que foi alargado", a quatro quilómetros de casa em linha reta, ainda na zona de Proença-a-Velha, mas muito próximo da povoação de Medelim.

"Existe a possibilidade de ter percorrido uma distância de 10 quilómetros", disse o responsável das operações de busca, numa declaração aos jornalistas.

Nas operações participaram militares da GNR, bombeiros, proteção civil municipal, sapadores florestais e voluntários, com apoio de equipas cinotécnicas, drones e mergulhadores. Dezenas de voluntários, muitos deles estrangeiros, também participaram nas buscas. A PJ da Guarda também teve equipas no local.

Psicólogo considera que desaparecimento do Noah tem aspetos invulgares

O caso do pequeno Noah tem aspetos invulgares, desde logo a idade do menino e o tempo que esteve desaparecido, afirma Mauro Paulino. O psicólogo forense sublinha que nas próximas horas vão ser feitos exames médico-legais que podem confirmar a tese de desaparecimento acidental ou abrir outras hipóteses de investigação.

PJ continua a investigar

A Polícia Judiciária continua a investigar o caso, mas não há indicação da intervenção de terceiros. Está a ser considerado um desaparecimento espontâneo.