País

Especialistas reúnem-se para avaliar possibilidade de alta hospitalar de Noah

Criança está internada desde quinta-feira.

Decorre na manhã desta segunda-feira uma reunião multidisciplinar, que junta pediatras, psicólogos e assistentes sociais, para avaliar a possibilidade de dar alta hospitalar a Noah, o menino que esteve desaparecido mais de 30 horas e que foi encontrado com vida na quinta-feira.

Internado desde então no Hospital de Castelo Branco, o menino de dois anos e meio tem estado “bem-disposto” e a ser acompanhado pela mãe em permanência, recebendo as visitas do pai e da irmã.

Para além do estado de saúde física, o hospital está focado na estabilidade emocional desta família, havendo uma preocupação acrescida em resguardá-la da cobertura mediática do caso.

O caso Noah

A Polícia Judiciária abriu um inquérito ao desaparecimento da criança, em Proença-a-Velha, mas afasta, para já, a hipótese de crime. Noah foi encontrado sozinho a cerca de quatro quilómetros de casa, 36 horas depois de ter desaparecido. Estava sem roupa, desidratado e com pequenos arranhões nas pernas.

O menino terá percorrido mais de 10 quilómetros a pé até ao local onde foi descoberto, um caminho repleto de vegetação, declives e pedras, junto ao rio Torto.

Concluída a operação de buscas, a investigação criminal continua. A roupa e calçado da criança, encontrados durante as buscas, seguiram para o Laboratório de Polícia Científica da PJ, em Lisboa.