País

Trabalhadores da MDA, do grupo Simoldes, em protesto em Oliveira de Azeméis 

Sérgio Campos

Sérgio Campos

Repórter de Imagem

Estão contra o fim dos turnos rotativos, impostos pela empresa, e contra a consecutiva perda do subsídio de turno. 

Os trabalhadores da MDA, do grupo Simoldes, foram ao centro da cidade à Câmara municipal de Oliveira de Azeméis para chamar a atenção. E, para apelar ao presidente da câmara que intervenha em defesa dos trabalhadores.

Estão revoltados com a administração da empresa que acabou com os turnos rotativos. Desde março que uns estão fixos no turno das 07:00-15:30, outros, sempre no das 15:30-24:00.

Como deixou de haver turnos rotativos, deixou de haver subsídio de turno. Os salários, no final do mês, sofreram um corte de 15%.

Apesar de manterem reuniões com a administração, dizem que esta não se compromete com nenhuma solução.

Os trabalhadores já tinham feito greve em março à porta da empresa.

A MDA, em Oliveira de Azeméis, tem cerca de 200 funcionários. Pertence ao Grupo Simoldes, empresa líder mundial na produção de moldes de metal para a indústria automóvel.