País

Professor da Universidade do Porto terá recusado exame a aluna por achar estar "muito destapada"

Caso aconteceu na Faculdade de Direito da Universidade do Porto. Direção abriu um processo de averiguações. 

A Faculdade de Direito da Universidade do Porto instaurou um processo de averiguações a um professor que, alegadamente, terá recusado entregar um exame a uma aluna pela forma como ela estava vestida. O caso envolverá Paulo Pulido Adragão, professor e especialista nas relações entre a Igreja e o Estado.

A denuncia foi feita nas redes sociais por um movimento pela igualdade de género. A publicação fala em "mais um triste episódio de machismo na academia" e conta que um professor Faculdade de Direito da Universidade do Porto recusou entregar o enunciado de um exame a uma aluna por considerar que ela estava "muito destapada".

Foi na última sexta-feira. A estudante do 1.º ano acabaria por vestir um casaco, mas só conseguiu fazer o exame após insistência de outro aluno.

À Associação de Estudantes chegaram várias denuncias a relatar o sucedido.

Em comunicado, a direção da faculdade anunciou a abertura de um processo de averiguações e diz que na instituição não há lugar para diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas.