País

Desabamento no Metro de Lisboa em setembro é responsabilidade das entidades envolvidas na obra

MÁRIO CRUZ

Comissão de inquérito foi nomeada pela Câmara de Lisboa para investigar o desabamento no túnel da estação de Metro da Praça de Espanha.

A comissão de inquérito nomeada pela Câmara de Lisboa para investigar o desabamento no túnel da estação de Metro da Praça de Espanha, ocorrido em setembro, atribuiu responsabilidades às várias entidades envolvidas na obra, foi anunciado esta sexta-feira.

Segundo o relatório divulgado pela autarquia, a responsabilidade do incidente, que ocorreu durante as obras do Parque Urbano da Praça de Espanha, é das várias entidades envolvidas, designadamente do dono da obra (Câmara de Lisboa), do Metropolitano, do projetista, do revisor de projeto, do empreiteiro, assim como da fiscalização.

"Face aos elementos analisados, conclui-se que nenhum dos intervenientes neste processo valorizou o facto de o canal passar sobre o túnel do Metro, recomendando a adoção de medidas particulares na sua demolição", pode ler-se no documento.

Quatro feridos ligeiros

O desabamento aconteceu em 29 de setembro, tendo provocado ferimentos ligeiros em quatro pessoas. Na ocasião do incidente, estavam cerca de 300 pessoas na composição que passava no túnel.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina (PS), assumiu na altura que o desabamento decorreu de um "erro grosseiro" associado à empreitada da autarquia e anunciou a abertura de um inquérito para apurar responsabilidades.