País

Registados mais de 3.000 testamentos vitais em 2020

RUBEN BONILLA GONZALO

Foi o valor mais baixo registado nos últimos cinco anos.

O Testamento Vital é um documento onde o cidadão pode expressar os cuidados de saúde médicos que desejaria, ou recusaria, numa situação clínica de incapacidade em expressar a sua vontade ou impossibilidade de nomear quem decida por ele. No ano passado foram registados apenas 3.337 testamentos vitais, uma quebra de quase metade em relação a 2019.

Foi o valor mais baixo registado nos últimos cinco anos. Em causa está a pandemia da covid-19, que condicionou os registos e a falta de informação a respeito dos testamentos vitais.

A Associação Portuguesa de Bioética entregou, no ano passado, uma proposta no Parlamento para que os hospitais, tanto públicos, como privados, sejam obrigados a informar os doentes desta possibilidade de fazerem um Testamento Vital. A proposta ainda aguarda decisão.

O testamento vital pode ser descarregado no portal do SNS, ou pode ser feito num notário. Deverá ser entregue, posteriormente, nos balcões de registo do Centro de Saúde.

É válido por cinco anos e pode ser alterado ou revogado sempre que o utente quiser.