País

Vieira quer pagar caução com ações e um imóvel. Juiz Carlos Alexandre decide se é aceite

Imóvel de Sesimbra está estimado em mais de um milhão de euros.

Luís Filipe Vieira apresentou um imóvel em Sesimbra e ações da SAD do Benfica para pagar os 3 milhões de euros de caução. O juiz Carlos Alexandre irá agora decidir se Vieira deixa de estar em prisão domiciliária, mas só após o parecer do Ministério Público.

O imóvel de Sesimbra, estimado em um milhão e duzentos mil euros, está em nome de um familiar.

As ações da SAD do Benfica pertencem a Luís Filipe Vieira. Juntos somarão os 3 milhões de euros que o ex-dirigente do clube terá de pagar para reconquistar a liberdade, deixando a prisão domiciliária em que se encontra desde 10 de julho.

O requerimento da defesa enviado ao juiz Carlos Alexandre foi primeiro ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

O Ministério Público tem de emitir um parecer sobre os bens apresentados para pagamento da caução.

Luís Filipe Vieira foi detido a 7 de julho. A operação Cartão Vermelho conta com outros 3 arguidos: o filho Tiago Vieira, o advogado e agente de futebol Bruno Macedo e o empresário José António dos Santos, conhecido por Rei dos Frangos.

São suspeitos de agirem em conluio em negócios e financiamentos, que terão lesado o Estado, a SAD do clube e Novo Banco em 100 milhões de euros.

Em causa estão indícios de burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais, fraude fiscal qualificada, abuso de informação e ainda de confiança. Suspeitas que ditaram o afastamento de Vieira da presidência do clube e da SAD.

Veja também: