País

Verão mais fresco prejudica negócios de praia no norte do país 

Rui Flórido

Rui Flórido

Repórter de Imagem

Francisco Carvalho

Francisco Carvalho

Editor de Imagem

Temperaturas registam valores inferiores ao habitual, o que representa uma dificuldade acrescida para os negócios de praia. 

Nas praias do norte do país ouve-se a maresia ao invés da habitual agitação a que o mês de agosto nos habituou. A manhã em Matosinhos começou com o areal praticamente vazio.

Este ano, o sol e o calor têm estado ausentes, o que tem deixado os negócios de praia mais fragilizados.

"O São Pedro não tem ajudado e com todas as limitações da covid, realmente tem sido mais complicado trabalhar vertente de praia", começou por realçar Aurélio Silva, do bar de praia Vagas, em Matosinhos.

Quem está de férias acaba por alterar os planos por causa do tempo e o número de barracas de praia que têm sido alugadas tem sofrido quebras significativas

No bar da praia do Titã, também em Matosinhos, o mau tempo influencia a faturação, mas as quebras devem-se sobretudo à pandemia e às medidas restritivas.

Em pleno mês de agosto, o verão continua tímido e a previsão é de que as temperaturas se mantenham amenas no norte do país, pelo menos durante esta semana.