País

Trabalhadores de cantinas do Porto não recebem salário há seis meses

Segurança Social não deu qualquer apoio.

A empresa responsável pelos serviços de refeições das cantinas e bares do Instituto Politécnico do Porto transferiu os trabalhadores para os serviços sociais do mesmo instituto há seis meses. Em atraso ficaram por pagar precisamente seis meses de salários.

Teresa Santos, empregada de bar há 20 anos, é uma das funcionárias com salários em atraso. Tem uma filha para educar e não recebe qualquer apoio.

Os trabalhadores viram-se de mãos atadas e sem subsídios também da parte da Segurança Social, isto porque a anterior empresa terá preenchido mal o formulário aquando da transmissão dos colaboradores, situação que depois foi retificada, mas só no papel.

Em resposta à SIC, o Politécnico do Porto disse lamentar a situação em que os trabalhadores se encontram, sublinhando que é alheio aos diferendos laborais que a anterior empresa deixou.

Contudo, com o arranque do ano letivo e a necessidade de prestar serviços de alimentação, o Politécnico espera que o concurso público, que está a decorrer, possa ter concorrentes à altura para que a situação se resolva o quanto antes.

  • 2:29