País

Instrutor com três anos e meio de pena suspensa pela morte de guarda prisional em Paços de Ferreira

Vítima morreu com um tiro durante a formação.

Foi condenado a uma pena suspensa de três anos e meio o instrutor que estava acusado de matar uma guarda prisional, durante uma formação de tiro, em Paços de Ferreira.

Chegou a tribunal acusado de homicídio por negligência grosseira. O Ministério público pediu prisão efetiva nas alegações finais do julgamento. Foi, por isso, com alívio que o arguido ouviu a sentença.

O Tribunal não tem dúvidas que a atitude "imprudente e desatenta" de Jorge Oliveira foi determinante para a morte de Carla Amorim, a guarda prisional de 30 anos que, em novembro de 2018, foi atingida no peito com uma bala de 9 milímetros disparada pelo instrutor durante uma formação na carreira de tiro de Paços de Ferreira.

Jorge Oliveira foi condenado a uma pena suspensa de 3 anos e 6 meses pelo crime de homicídio por negligência grosseira. Terá de pagar uma indemnização à família da vítima de 125 mil euros.

Jorge Oliveira já voltou a exercer funções como guarda prisional e não está impedido de ser formador no futuro.

O sentimento de injustiça deixou a família da vítima sem palavras à saída do Tribunal de Paços de Ferreira.