País

Paulo Rangel diz que não é tempo de discutir liderança do PSD 

Eurodeputado pede análise aos resultados eleitorais.

Paulo Rangel diz que este ainda não é o tempo para haver uma clarificação da liderança do PSD.

"O tempo é agora de, saudavelmente e com os pés na terra, celebrar este momento político."

Num artigo de opinião, publicado no Público, o eurodeputado, apontado como possível candidato a líder, entende que agora é o momento de analisar os resultados eleitorais e deixa alguns avisos para o futuro do partido.

O PSD deverá ter eleições marcadas até final do ano e congresso no início de 2022. A reunião do Conselho Nacional, para discutir estas eleições, deverá acontecer em outubro.

Para já, ficam os avisos à navegação. Rangel quer um PSD posicionado entre o centro-esquerda e a direita moderada, que não alinhe em frentismos e que seja capaz de construir uma alternativa sólida.

Aponta a que o partido esteja em cima da aplicação dos fundos da bazuca europeia, mas que também ponha na agenda o combate à pobreza, as questões ambientais, a educação e que recupere a a bandeira da revisão da política fiscal.

Veja também: