País

Coligação Evoluir Oeiras questiona contrato com a empresa de ex-espião

Notícia da SIC dá conta que a Câmara de Oeiras contratou serviços de uma empresa liderada pelo antigo espião Jorge Silva Carvalho e por um inspetor da PJ em licença sem vencimento.

Os eleitos pela coligação Evoluir Oeiras (BE, Livre, Volt) questionaram esta quinta-feira a decisão da Câmara Municipal, presidida por Isaltino Morais, de celebrar um contrato com uma empresa para "avaliar informação e desinformação encontrada ou disseminada nas redes sociais".

As preocupações levantadas pela coligação Evoluir Oeiras, que elegeu uma vereadora e três deputados municipais nas eleições autárquicas do dia 26 de setembro, surge depois de uma notícia da SIC, que dá conta que a Câmara Municipal de Oeiras contratou os serviços de uma empresa liderada pelo antigo espião Jorge Silva Carvalho e por um inspetor da Polícia Judiciária em licença sem vencimento.

"É com grande perplexidade e preocupação"

De acordo com a SIC, o contrato assinado com a empresa "Jupiter Wisdom" tem a duração de um ano (celebrado em 30 de agosto) e prevê o pagamento de 39 mil euros, tendo como intuito "investigar a alegada desinformação nas redes sociais dos habitantes de Oeiras (distrito de Lisboa), através de inteligência artificial".

"É com grande perplexidade e preocupação que vemos um executivo municipal celebrar contratos com fins dúbios, o de analisar a desinformação das redes sociais. Iremos averiguar quais as implicações no âmbito do direito à privacidade dos cidadãos e ao resguardo da proteção de dados", refere a coligação, em comunicado.

Justificação da Câmara de Oeiras

Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, fonte oficial da Câmara Municipal de Oeiras justifica a contratação da empresa com o facto de o executivo municipal estar preocupado com a criação de "distorções da realidade" que têm originado a queda sucessiva do município nos rankings que avaliam a "capacidade de atração de empresas".

"Em alguns rankings, Oeiras cai sucessivamente na capacidade de atração de empresas ou novos negócios e isto acontece quando está atualmente em construção, no concelho, o maior complexo de escritórios do país, o World Trade Center. Como pode um território que é capaz de atrair algumas das maiores empresas internacionais (Google, Cisco, BP, OutSystems, o WTC, entre outras) estar a perder competitividade?", questiona a autarquia.

A Câmara de Oeiras explica ainda que, paralelamente, pretende também "perceber as queixas específicas dos munícipes nas redes sociais", permitindo, desta forma, ao município "melhorar o seu desempenho e o nível de serviço prestado".

"A contratação de uma empresa especializada que conta, nos seus quadros, com altos quadros da administração na área da "inteligência" e investigação só pode constituir uma mais-valia para o município", sublinham.

VEJA TAMBÉM: