País

Suspeito de disparar contra família sueca fica sob termo de identidade e residência

O homem de 53 anos renunciou ao mandato na Junta de Freguesia.

O eleito do Chega que é suspeito de ter disparado contra uma família sueca, em Moura, renunciou ao mandato na Junta de Freguesia da Póvoa de São Miguel. O homem de 53 anos terá agido por ódio racial.

Fonte do partido confirmou o afastamento do homem que é suspeito de no passado dia 8 de outubro ter disparado contra uma família sueca de ascendência curda. Segundo a Polícia Judiciária, o homem foi detido por fortes indícios de prática de crime de homicídio qualificado na forma tentada.

Na autocaravana que o suspeito perseguiu e contra a qual disparou estavam dois adultos e sete crianças com idades entre os três meses e os 11 anos. Não houve feridos.

O suspeito terá tentado ocultar a arma e a viatura que usou durante a perseguição que, segundo a PJ, ocorreu após um desentendimento que terá sido determinado por ódio racial. O homem foi ouvido em primeiro interrogatório judicial e irá ficar a aguardar o desenrolar do processo em liberdade, sob termo de identidade e residência.

► Veja mais:

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros