País

Bullying: como perceber se uma criança é a vítima ou o agressor

Entrevista SIC Notícias

Loading...

Assinala-se hoje o Dia Mundial do Combate ao Bullying.

Existe cada vez mais o ciberbullying

Ameaçar, espalhar boatos, atacar alguém fisicamente ou verbalmente ou excluir alguém propositadamente são comportamentos que podem ser encarados como bullying.

Atualmente, e associado ao recurso às novas tecnologias, nomeadamente as redes sociais, o bullying tem assumido novos contornos, dando origem à vertente virtual do ciberbullying que tem vindo a crescer.

Cécile Domingues, psicóloga e psicoterapeuta, foi convidada da Edição da Manhã da SIC Notícias para abordar o tema, no Dia Mundial do Combate ao Bullying, que hoje se assinala.

Pais devem estar atentos aos sinais de alerta

Muitos pais não sabem que os filhos sofrem de bullying, mas há sinais de alerta a que podem estar atentos e que, na maioria dos casos, indicam que algo não está bem.

A psicóloga diz que os pais devem estar atentos às mudanças a nível comportamental e emocional. "Devem tentar perceber se o filho está a ter comportamentos de isolamento, ou irritabilidade e por vezes até agressivo", explica.

Cécile Domingues alerta ainda para a importância da comunicação entre pais e filhos na medida da prevenção.

"Os pais devem ter uma comunicação aberta com os filhos e explicar que este tipo de comportamentos pode acontecer nas escolas", sublinha.

Em entrevista à SIC Notícias, considerou que este tipo de comunicação mais aberta entre pais e filhos permite que as crianças fiquem atentas aos episódios de bullying e dá-lhes ferramentas para que denunciem o caso a um adulto sem medo de represálias.

"No fundo, é criar um ambiente de segurança e de partilha, em que a criança consegue sentir que não vai ser julgada nem criticada", conclui.

É possível perceber se um filho é "bully"?

Cécile Domingues diz que é um pouco mais difícil para os pais perceberem quando os filhos são os agressores. No entanto, afirma que é possível "se houver comunicação entre a escola e os professores".

"Comportamentos agressivos, de irritabilidade e de impulsividade também podem ser indicadores neste sentido de a criança ser um bully", explica.

Veja também:

Últimas Notícias
Mais Vistos