País

PJ tem identificados 30 grupos de jovens da zona de Lisboa com ligações a atividades criminosas

São na maioria jovens, alguns ainda menores de idade, e vivem em bairros, nos subúrbios de Lisboa.

Os quatro suspeitos do homicídio de um jovem na estação de Metro das Laranjeiras ficaram em prisão preventiva. Foram esta sexta-feira presentes ao juiz. A SIC falou com familiares e amigos da vítima.

Rafael Vaz Lopes perdeu a vida na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, às mãos de outros jovens que conhecia, colegas do mesmo estabelecimento de ensino.

Tinha saído da escola e ia almoçar a casa. Frequentava o curso de Informática, numa nova Escola Profissional nas Laranjeiras.

A PSP e a Polícia Judiciária detiveram os quatro suspeitos do ataque com uma arma branca e do roubo de um telemóvel da vítima. Os presumíveis culpados alegaram legitima defesa, que Rafael teria dado antes um murro a um deles. Os quatro presumíveis culpados fazem parte de um grupo do Casal da Mira e têm também apenas 18 e 19 anos.

O fenómeno destes grupos de jovens está a aumentar. De acordo com o Diário de Notícias, há já 30 grupos sinalizados pela Polícia Judiciária.

São na maioria jovens, alguns ainda menores de idade, e vivem em bairros, nos subúrbios de Lisboa.

O jornal refere que, antes de chegarem às ruas, os conflitos começam nas redes sociais. Os jovens utilizam a internet para se mostrarem, divulgarem os crimes cometidos e ostentarem os objetos roubados como troféus.

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias