País

Patrões aceitam pedido de desculpa de Costa, mas alertam que propostas não vão facilitar retoma

Concertação Social foi suspensa pelo patrões depois de acusarem o Governo de desrespeito.

O primeiro-ministro pediu desculpas aos patrões por ter aprovado medidas na área do trabalho sem as ter apresentado aos parceiros sociais e os patrões aceitaram o pedido.

No entanto, acusam o Executivo de fazer alterações às leis do trabalho apenas por causa da negociação do Orçamento do Estado.

Para o primeiro-ministro este processo não passa de um lapso.

O Governo pretende aumentar os valores pagos pelas horas extra, mas só conta a partir das 120 horas, e quer também passar a indemnização por despedimento de 12 para 24 dias por ano, em contratos futuros. Mas estas ideias não agradaram nem aos patrões, nem aos sindicatos.

A proposta de lei segue para o Parlamento.

O Presidente da República não quis comentar a situação, mas anunciou que vai receber os sindicatos e as confederações patronais na próxima sexta-feira.

VEJA TAMBÉM: