País

Ex-autarca da junta de freguesia de Arroios estava a ser investigada há três anos

PJ realizou buscas na casa de Margarida Martins.

A Junta de Freguesia de Arroios, em Lisboa, foi esta quarta-feira alvo de buscas. Em causa estão suspeitas de má gestão de dinheiros públicos que têm como principal suspeita a ex-autarca Margarida Martins.

A casa da antiga presidente da junta também esteve na mira dos inspetores.

Margarida Martins estava a ser investigada há pelo menos três anos, sem nunca ter sido ouvida ou constituída arguida. Mas uma recente reportagem da revista Sábado terá acelerado o rumo da investigação.

Nas imagens captadas por uma camara oculta, a então presidente da junta de freguesia de Arroios é filmada a pedir frutas e legumes num dos mercados da freguesia sem realizar qualquer pagamento.

Confrontados, alguns comerciantes admitem que era prática da ex-autarca levar sem pagar.

Esta quarta-feira, os inspetores da Unidade Nacional de Combate à Corrupção passaram o dia na junta de freguesia de Arroios e na casa de Margarida Martins, que é agora ex-autarca depois de ter perdido as últimas eleições como candidata do PS em coligação com o Livre.

Margarida Martins é suspeita de peculato, participação em negócio e abuso de poder. Em causa estão contratos de manutenção de espaços verdes que em 2020 foram alvo de uma auditoria por parte do Tribunal de Contas que acabaria por detetar várias ilegalidades, entendo os juízes conselheiros que existia "uma estratégia para fugir à necessidade de concursos públicos".

Veja também:

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias