País

MP investiga procedimentos de contratação pública que ascendem a 7M€ no Porto e na Madeira

Divulgacao

Estão na origem das várias buscas realizadas pela PJ no Porto e na ilha da Madeira.

Uma investigação sobre procedimentos de contratação pública, entre 2019 e 2021, que ascendem a cerca de sete milhões de euros, estão na origem das várias buscas realizadas esta terça-feira pela PJ no Porto e na ilha da Madeira.

De acordo com a página na internet do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), em causa no inquérito estão suspeitas de "participação económica em negócio, corrupção e, eventualmente, branqueamento de capitais".

A PJ realizou várias buscas domiciliárias e não domiciliárias, nomeadamente, nas instalações da Associação Comercial do Porto, do Instituto do Vinho do Douro e do Porto (IVDP), da Fundação da Juventude do Porto e do Instituto do Vinho, do Bordado e Artesanato da Madeira, no Funchal e a um escritório de advogados.

A Associação Comercial do Porto, a Fundação da Juventude e o IVDP confirmaram à agência Lusa terem sido objeto de diligências judiciais, bem como o Governo Regional da Madeira que emitiu um comunicado a demarcar o IVBAM de "qualquer irregularidade".

"Ignorando os motivos concretos que estiveram na origem desta investigação e procedendo com absoluta transparência", a Associação Comercial do Porto diz ter cooperado abertamente com as autoridades.

Fundação da Juventude revelou que as buscas estiveram relacionadas com "o fornecimento de serviços à Fundação da Juventude, há vários anos atrás, por parte de entidades terceiras, alvo de investigação".

Também o IVDP confirmou que as buscas em "nada estão correlacionadas com a ação e atividade direta do próprio IVDP", remetendo mais detalhes e explicações para a PJ.