País

Marta Temido diz que SNS precisa de profissionais mais resilientes

O Sindicato Independente dos Médicos responde que todos os profissionais de saúde dão o máximo pelo pelo SNS.

A ministra da Saúde, Marta Temido, esteve esta quarta-feira na Assembleia da República sobre a situação do Centro Hospitalar de Setúbal e a falta de médicos no Serviço Nacional de Saúde (SNS). O caminho para resolver esse problema seria apostar na contratação de profissionais mais resilientes e conscientes de que não é fácil desempenharem as suas funções no SNS, segundo Marta Temido.

A ministra da Saúde conclui que é impossível os profissionais de saúde cumprirem o limite de horas extraordinárias, mas indica que uma das soluções seria pagar mais.

O limite máximo anual do trabalho extraordinário no SNS é de 150 horas, pelo que os profissionais de saúde chegam a extrapolar esse valor por quatro vezes.

O Sindicato Independente dos Médicos responde às declarações da ministra e defende que todos os profissionais de saúde dão o máximo pelo pelo SNS.

A falta de recursos humanos, nomeadamente nas urgênciass está a levar chefias a suspenderem funções.

No Hospital de Santa Maria, a administração não conseguiu reverter a demissão em bloco anunciada na segunda-feira.

No Centro Hospitalar de Faro, há décadas que se queixam da falta de profissionais.

De janeiro a setembro deste ano já foram gastos mais de 17 milhões de euros com trabalho suplementar.

MINISTRA DA SAÚDE ADIANTOU QUE AINDA "HÁ MUITO A MELHORAR"

Na passada sexta-feira, Marta Temido dirigiu-se ao Parlamento a pedido do PSD e proferiu que, agora, há mais inscritos no SNS face ao ano 2015. Este ano entraram 138.000 profissionais de saúde, mas não expôs quantos saíram.

SAIBA MAIS