País

Falhas na rede Vodafone estão a afetar chamadas para o 112

Falhas na rede Vodafone estão a afetar chamadas para o 112

As falhas na rede Vodafone estão a afetar vários serviços, entre os quais o número de emergência 112.

Desde a noite desta segunda-feira que os utilizadores da rede Vodafone, entre os quais serviços de emergência e socorro e outros serviços públicos como tribunais, estão a ter problemas. Há operadores do INEM a recorrerem aos seus números de telefone pessoais para ajudarem quem contacta o 112.

Quando ligamos para o número de emergência médica, as chamadas são reencaminhadas para os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) que, posteriormente, solicitam os meios necessários para responder à emergência.

Acontece que, desde as 21:00 desta segunda-feira, devido à falha na rede Vodafone, há comunicações que não são realizadas, impedindo que os CODU acionem os meios necessários para as ocorrências.

Há, por isso, operacionais dos bombeiros e operadores do INEM a recorrer aos seus contactos pessoais para comunicarem, conta o jornal online Observador.

A SIC sabe que outros serviços, como tribunais, também estão a sofrer perturbações.

As regiões mais afetadas são, sobretudo, o Porto, Lisboa, Coimbra e Faro.

Em conferência de imprensa, ao final da manhã de hoje, o CEO da Vodafone, Mário Vaz, admitiu que serviços essenciais que dependem da rede da Vodafone, como o INEM e alguns bombeiros, sofreram “uma afetação da atividade normal”, garantindo porém que já foi recuperado o acesso ao serviço voz e dados 3G.

“Continuamos a trabalhar de forma muito próxima com a equipa do INEM”, garantiu Mário Vaz.

Rede SIRESP está a assegurar comunicações

As comunicações em casos de emergência estão a ser asseguradas pela rede Siresp na prestação de socorro por parte de corporações de bombeiros, como a de Bragança.

O comandante dos bombeiros de Bragança, Carlos Martins, disse à agência Lusa que desde ontem que a corporação está sem comunicações, nomeadamente no número habitual do quartel, consequência dos constrangimentos na Vodafone, justificados pela empresa por um ciberataque.

O maior problema” que a situação coloca, como explicou o comandante, é a emergência médica, mas, “desde as 21:00 de segunda-feira que, por indicações nacionais, ficou estabelecido que estas comunicações são feitas através da rede do estado para as situações de emergência e segurança, o Siresp.

O Siresp está a permitir que se estabeleça este contacto, ainda segundo o comandante, que afirmou à Lusa tratar-se de uma situação “a nível nacional”.

A rede Siresp, segundo disse, permite também o contacto através de canais internos entre as diversas corporações, nomeadamente ao nível distrital.

COM LUSA

Saiba mais

Últimas Notícias
Mais Vistos