País

Violência doméstica: oito mulheres e uma criança assassinadas nos primeiros três meses de 2022

10.05.2022 19:57

Prisões e detenções também aumentaram no primeiro trimestre do ano quando comparado com o ano anterior.

Oito mulheres e uma criança foram assassinadas em contexto de violência doméstica, no primeiro trimestre de 2022, revela a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG). No mesmo período do ano passado, morreram sete pessoas: cinco mulheres e dois homens. Este ano, houve mais participações às autoridades quando comparado com o mesmo período do ano anterior. Houve também mais pessoas presas pelo crime de violência doméstica.

Em 2021, no total, morreram 23 pessoas de violência doméstica: 16 mulheres, duas crianças e cinco homens. Esse número tinha sido superior nos anos anteriores: 32 mortes em 2020 e 35 em 2019. Já este ano, nos primeiros três meses, morreram nove pessoas: oito mulheres e uma criança.

Participações às autoridades

De acordo com os dados do Governo, agora divulgados, nos primeiros três meses do ano, foram registadas 6732 ocorrências à PSP e GNR, um número semelhante aos três meses anteriores (6730). Ainda assim, é um número superior ao do período homólgo de 2021, em que foram participadas 5550 agressões. Anualmente, em 2019, foram registadas mais de 29 mil ocorrências (29223), número que desceu nos dois anos seguintes.

Prisão


Nos primeiros três meses do ano, estavam presas 1159 pessoas: 237 em prisão preventiva e 922 em prisão efetiva. É um número superior ao mesmo período do ano anterior, em que estavam presas 1112 pessoas. No primeiro trimestre, havia ainda 959 pessoas com medidas de coação, a maioria com vigilância eletrónica.

Casas de acolhimento


Foram recebidas 1841 pessoas em casas de acolhimento na Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica, revelam os dados da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género. Entre essas pessoas, há 908 mulheres, 904 crianças e apenas 29 homens. No entanto, esse número é superior ao do trimestre anterior, em que foram recebidas 1032 pessoas, a maioria mulheres (694).

Teleassistência


Havia 3867 pessoas em teleassistência de janeiro a março de 2022, número semelhante ao do trimestre anterior (3905).

Saiba mais:

Veja também

Últimas Notícias
Mais Vistos