País

“Não nos peçam para termos responsabilidades que a lei não nos confere”, afirma Liga dos Bombeiros 

A firefighter operates at the site of a wildfire in Pumarejo de Tera near Zamora, northern Spain, on June 18, 2022. – Firefighters continued to fight against multiple fires in Spain, one of which ravaged nearly 20,000 hectares of land, on the last day of an extreme heat wave which crushed the country, with peaks at 43 degrees. The largest of these forest fires was still out of control this afternoon in the Sierra de la Culebra, a mountain range in the region of Castile and Leon (northwest), near the border with Portugal. (Photo by CESAR MANSO / AFP) (Photo by CESAR MANSO/AFP via Getty Images)
A firefighter operates at the site of a wildfire in Pumarejo de Tera near Zamora, northern Spain, on June 18, 2022. – Firefighters continued to fight against multiple fires in Spain, one of which ravaged nearly 20,000 hectares of land, on the last day of an extreme heat wave which crushed the country, with peaks at 43 degrees. The largest of these forest fires was still out of control this afternoon in the Sierra de la Culebra, a mountain range in the region of Castile and Leon (northwest), near the border with Portugal. (Photo by CESAR MANSO / AFP) (Photo by CESAR MANSO/AFP via Getty Images)

António Nunes insiste que os bombeiros não podem ser responsabilizados por algo que não lhes compete. 

O presidente da Liga de Bombeiros Portugueses garante que o pedido de escusa não vai afetar o combate aos incêndios. À SIC Notícias, António Nunes insiste que os bombeiros não podem ser responsabilizados por algo que não lhes compete. 

Loading...
Loading...

“Aquilo que recomendámos e que os comandantes estão a fazer é: dizer ‘estamos prontos, vamos cumprir os nossos deveres como sempre porque estamos ao serviço dos cidadãos, mas não nos peçam para termos responsabilidades que a lei, no geral, não nos confere’”, disse António Nunes. 

A Liga critica que os bombeiros estejam a ser responsabilizados por situações que “não dependem exclusivamente deles”

“Queremos que a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil se sente connosco e faça um delineamento de uma operação mais complexa face às condições meteorológicas”, pede. 

Quase 100 bombeiros portugueses pediram escusa de responsabilidade em caso de incêndios florestais. 

A Liga dos Bombeiros quer proteger os comandantes de serem julgados em caso de tragédia, porque considera que é impossível cumprir as normas do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais.

A Proteção Civil diz que já recebeu os pedidos e garante que estão em análise, dos pontos de vista jurídico e operacional.  

O Presidente da República anunciou, entretanto, que vai marcar uma audiência com a Liga dos Bombeiros nos próximos dias. 

Saiba mais

Últimas Notícias
Mais Vistos