País

Presidente da República reage à morte de Carlos Caçador Durão

Presidente da República reage à morte de Carlos Caçador Durão
TIAGO PETINGA
Marcelo Rebelo de Sousa lamentou esta sexta-feira a morte do primeiro presidente da Câmara de Barrancos.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou esta sexta-feira a morte do primeiro presidente da Câmara de Barrancos em democracia, Carlos Caçador Durão, salientando uma vida dedicada à "participação política".

"O Presidente da República lamenta a morte de Carlos Caçador Durão e envia à Família e ao Município de Barrancos as mais sentidas condolências", lê-se numa mensagem publicada no sítio oficial da Internet da Presidência da República.

Na nota, assinala-se que "Carlos Caçador Durão exerceu dois mandatos como presidente da Câmara Municipal de Barrancos (entre 1977 e 1982), tendo sido também vereador, dedicando assim grande parte da sua vida à participação política".

Carlos Caçador Durão, o primeiro presidente da Câmara de Barrancos (Beja) eleito em democracia, morreu na quinta-feira, aos 89 anos, disse à agência Lusa o atual autarca daquele município, Leonel Rodrigues.

A Câmara de Barrancos decretou três dias de luto municipal, desde hoje e até sábado, com a bandeira do município a meia haste, segundo um comunicado divulgado pela autarquia e assinado pelo presidente.

Em declarações à agência Lusa, Leonel Rodrigues revelou que o funeral do antigo autarca realiza-se hoje, às 10:00, para o cemitério da vila.

De acordo com dados biográficos consultados na Internet pela agência Lusa, Carlos Caçador Durão foi presidente da Câmara de Barrancos entre 01 de janeiro de 1977 e 31 de dezembro de 1982 (dois mandatos), eleito pela APU (coligação que foi integrada pelo PCP), candidatando-se, nas eleições seguintes, pelo PS, partido pelo qual foi eleito vereador.

Últimas Notícias
Mais Vistos