País

Receção de refugiados ucranianos em Setúbal: Inspeção das Finanças encontra indícios de crime

Loading...
O caso foi entregue ao Ministério Público.

A Inspeção-Geral das Finanças encontrou indícios de crime no caso do acolhimento de refugiados ucranianos em Setúbal. Um dos relatórios que produziu está nas mãos do Ministério Público.

Em causa está a possibilidade de ter sido violada a lei da proteção de dados, mas também um alegado abuso de poder por parte da Câmara. O casal de russos que dirigia a associação de imigrantes de países de leste, assim como o atual e a ex-presidente da Câmara de Setúbal, fazem parte desta investigação.

A Câmara de Setúbal mantinha há quase 20 anos, um contrato por ajuste direto com a associação dirigida por Igor Khashin e a mulher.

Das investigações realizadas à conduta da autarquia no acolhimento aos refugiados ucranianos, a Inspeção-Geral das Finanças produziu dois relatórios. De acordo com o jornal Expresso, um deles, que fala em indícios de crime, encontra-se a cargo do Ministério Público.

A 2 de maio, o Ministério da Coesão Territorial dava conta que o caso da receção de refugiados ucranianos na Câmara de Setúbal por alegados defensores do regime russo tinha sido enviado para a Inspeção Geral das Finanças, a quem competem os "inquéritos e sindicâncias".

Últimas Notícias