País

Decisão "abrupta" e "inesperada": fechou escola de pilotos no aeródromo de Ponte de Sor

Decisão "abrupta" e "inesperada": fechou escola de pilotos no aeródromo de Ponte de Sor
Câmara lamenta a decisão.

A escola de formação de pilotos L3Harris Airline Academy, em Ponte de Sor, no distrito de Portalegre, encerra no final deste mês, indicou esta terça-feira a empresa, numa decisão considerada "abrupta e inesperada" pelo município.

"Na procura do melhor resultado possível para as operações globais a longo prazo da nossa academia, lamentamos anunciar a cessação das operações na nossa academia em Portugal", pode ler-se num comunicado da empresa enviado à agência Lusa.

A L3Harris justificou a decisão com a sua estratégia a nível mundial, o que a levou a rever a posição da sua carteira de academias pelo mundo, incluindo a portuguesa. O objetivo, acrescentou, é "assegurar que a marca deixada pelas suas academias internacionais está alinhada com as exigências da indústria e com as necessidades de formação de voo previstas".

A empresa disse que a decisão não perturba neste período o funcionamento da escola portuguesa, que continua a trabalhar normalmente até ao fecho.

"Não houve perturbações na nossa formação e estamos a providenciar todo o apoio possível à nossa equipa na academia portuguesa, apesar de reconhecermos que possam ser tempos difíceis para eles", indicou no comunicado a L3Harris, que em 2017 adquiriu a academia no Aeródromo Municipal de Ponte de Sor à empresa GAir.

Em comunicado enviado à Lusa, a Câmara de Ponte de Sor lamentou a posição da empresa, sublinhando que "não foi atempadamente" consultada sobre esta "decisão unilateral", que considera ser "abrupta e inesperada".

"Cerca de nove dezenas de trabalhadores ficarão momentaneamente em situação de desemprego e verão os seus direitos devidamente salvaguardados. As instalações, propriedade do município, serão prontamente ocupadas por uma outra operadora da mesma área de negócios, que adquiriu os ativos da empresa L3Harris", pode ler-se no comunicado.

A Lusa contactou o Presidente do município, Hugo Hilário, que, apesar de remeter todos os esclarecimentos para o comunicado, garantiu que "quase todos" os postos de trabalho vão ficar assegurados com a chegada da nova operadora ao aeródromo municipal. No documento, a Câmara de Ponte de Sor explica ainda que a L3Harris "chegou a acordo" com a nova operadora, cujo plano de negócios "já é do conhecimento" da autarquia e que se propõe a criar condições para ter "ainda mais estudantes num curto prazo", fazendo assim um aproveitamento pleno das infraestruturas de que vai dispor.

"Julgamos que o impacto será mínimo, considerando que a atividade quase não será interrompida e grande parte dos trabalhadores serão absorvidos pela nova operadora", acrescenta no comunicado.

O município explica ainda que, no caso dos funcionários que eventualmente não possam encontrar uma resposta imediata, a autarquia dispõe de "instrumentos" para que todos consigam rapidamente encontrar uma solução.

"Sendo a dimensão do nosso cluster aeronáutico considerável e reconhecida, julgamos que todos terão oportunidades junto das restantes empresas já instaladas no aeródromo, das em instalação neste momento, e das que brevemente farão também parte deste ecossistema", lê-se na nota.

Instado a revelar a identidade da empresa que adquiriu os ativos da L3Harris em Ponte de Sor, Hugo Hilário remeteu esclarecimentos para "mais tarde", após ultrapassados alguns formalismos referentes a esta operação.

Últimas Notícias
Mais Vistos