País

Quadros da PJ vão ser reforçados com 1.100 efetivos até 2026

Quadros da PJ vão ser reforçados com 1.100 efetivos até 2026
Images by Steve Skinner Photogra

A medida foi anunciada por António Costa esta segunda-feira.

O primeiro-ministro anunciou esta segunda-feira que vão entrar na Polícia Judiciária (PJ), até 2026, mais 1.100 elementos efetivos, reforçando as carreiras de inspeção e investigação criminal, de especialista de polícia científica e de especial de segurança.

António Costa fez o anúncio na parte final do seu discurso na cerimónia de aceitação de 97 novos inspetores da Polícia Judiciária, em Lisboa, numa sessão em que também usaram da palavra o diretor nacional da polícia, Luís Neves, e a ministra da Justiça, Catarina Sarmento e Castro.

"Temos de assegurar a continuidade e previsibilidade na gestão da PJ. Na terça-feira, será publicada uma portaria da ministra da Justiça e do ministro das Finanças [Fernando Medina], definindo o quadro plurianual de ingressos na PJ até 2026", declarou o líder do executivo.

De acordo com o primeiro-ministro, "até 2026, na carreira de inspeção e investigação criminal entrarão mais 750 efetivos, na carreira de especialista de polícia científica mais 250 efetivos e na carreira especial de segurança mais 100 efetivos".

"Creio que estamos em condições de poder dizer que a Polícia Judiciária está e continuará a estar reforçadamente dotada dos recursos humanos de que necessita para continuar a fazer aquilo que sempre tem feito com mais meios ou com menos meios, com maior dedicação ou com um esforço mais partilhado entre todos", garantiu António Costa.

Na sua intervenção, o primeiro-ministro apontou que desde 2019 até agora, "verificou-se já um reforço de 355 efetivos só na carreira de investigação criminal da PJ".

"É absolutamente fundamental continuar a investir na segurança interna e, designadamente, na PJ. Esse investimento são ferramentas legislativas, são melhorias de instalações, melhores meios para perícias, para o laboratório e nos sistemas de investigações", declarou.

No entanto, Costa deixou uma advertência: “mas nada disto funciona sem um elemento central que tem a ver com os recursos humanos da Polícia Judiciária”.

Na cerimónia estiveram também presentes a procuradora Geral da República, Lucília Gago, o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, e outros responsáveis de instituições de segurança, de defesa e de informações.

Últimas Notícias
Mais Vistos