País

Alexandre Valentim Lourenço candidato a bastonário da Ordem dos Médicos

Alexandre Valentim Lourenço candidato a bastonário da Ordem dos Médicos
RunPhoto

Eleições decorrem em janeiro.

O especialista Alexandre Valentim Lourenço anuncia hoje a sua candidatura a bastonário dos médicos, na qual defende que a saúde tem de ser capaz de se adaptar entre regiões e instituições, "sabendo que não há soluções mágicas ou imediatas".

"A qualidade da medicina do futuro depende do que, enquanto médicos, fizermos hoje em todas as instituições de saúde do país", lê-se no manifesto da candidatura que será apresentada hoje no Porto, em Coimbra e em Lisboa, sob o mote "Temos o poder de mudar".

Especialista em Ginecologia e Obstetrícia e atual presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos (OM), Alexandre Valentim Lourenço, 58 anos, apresenta hoje a sua candidatura às eleições para bastonário, que decorrem em janeiro, em três eixos que visam valorizar o médico, a Medicina e a Ordem.

DR

Para o também diretor do serviço de Ginecologia no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, "a saúde depende de um sistema de saúde ágil, transparente e com uma resposta qualificada, robusta e diversificada". "A saúde tem de ser capaz de se adaptar entre regiões e instituições sabendo que não há soluções mágicas ou imediatas", defende Alexandre Valentim Lourenço, que diz estar consciente dos desafios que tem "pela frente e da urgência de começar, o quanto antes, a melhorar a saúde do presente para defender a saúde do futuro".

Dirigindo-se aos médicos, o candidato afirma que a mudança que todos querem depende de "uma Ordem mais forte, atenta, célere, capaz e empenhada em defender melhores condições de trabalho para os médicos". "Uma Ordem capaz de traduzir a vontade e os desejos de uma classe e restituir aos médicos o lugar que devem ocupar no sistema de saúde", salienta.

Para o médico, "chegou a hora de agir, na certeza de que os doentes não precisam de mais modelos matemáticos, mas sim de médicos empenhados para aplicarem o seu saber e as suas capacidades com a liberdade e responsabilidade devida para obterem os melhores resultados clínicos".

Os três eixos de atuação

No primeiro eixo de atuação, "Valorizar o médico", Alexandre Valentim Lourenço diz que o seu "objetivo permanente" é "repor a dignidade do médico e o prestígio da sua carreira". As medidas propostas visam reforçar as competências individuais, quer na sua atividade técnica e científica quer num conjunto de ações que pretendem reforçar o papel da liderança dos médicos enquanto membros ativos na sociedade, salienta.

"Valorizar a Medicina", o segundo eixo, o candidato defende que preservar a sua qualidade deve constituir "um objetivo principal" da Ordem, que passa pela capacidade de qualificar e certificar as especialidades médicas, promovendo sempre uma Medicina de maior qualidade que dê confiança.

No último eixo, "Valorizar a Ordem", propõe a revisão do Estatuto da OM, na sequência da prevista alteração da Lei-quadro das Ordens Profissionais, e da necessidade da sua modernização funcional, e o "reforço do fundo de apoio à formação".

Além de Alexandre Valentim Lourenço, há mais cinco candidatos a bastonário da OM, são eles Carlos Cortes, Rui Nunes, Fausto Pinto, Jaime Branco e Bruno Maia.

Últimas Notícias
Mais Vistos