País

PSD quer Costa no Parlamento para falar sobre gasoduto ibérico

Loading...

PSD reitera que acordo é mau para Portugal.

O PSD pediu um debate de urgência sobre o acordo para o gasoduto ibérico e requer a presença do primeiro-ministro no Parlamento. Paulo Rangel acusa o Governo de fazer propaganda e ter desconhecimento técnico sobre o assunto.

"O grupo parlamentar requereu um debate de urgência sobre o tema 'Acordo de interconexões ibéricas de energia', a ser tido em reunião plenária extraordinária, para o qual requer a presença do senhor primeiro-ministro. Tal reunião poderá ter lugar na próxima quinta-feira, após a conclusão da sessão agendada, o que, aliás, facilita a presença do senhor primeiro-ministro", disse Paulo Rangel em conferência de imprensa, no Porto.

O social-democrata acrescentou que o PSD considera tratar-se de uma "questão de interesse estratégico nacional", pelo que "não se conforma com um acordo que prejudica e prejudica a Europa, e não aceita nem a propaganda do Governo e do PS, nem a arrogância de quem se acha dono e senhor do interesse nacional".

"Felizmente, numa democracia, ninguém tem o monopólio da definição e defesa do interesse nacional".

Gasoduto entre Penísula Ibérica e França

O projeto foi acordado e anunciado por Portugal, Espanha e França, em Bruxelas, durante uma reunião dos líderes dos Governos dos três países.

António Costa, Pedro Sánchez e Emmanuel Macron decidiram avançar com um "Corredor de Energia Verde", por mar, entre Barcelona e Marselha (BarMar), em detrimento de uma travessia pelos Pirenéus (MidCat).

O calendário, as fontes de financiamento e os custos relativos à execução do corredor verde BarMar serão debatidos num novo encontro a três em dezembro, em Alicante, Espanha.

O gasoduto entre Barcelona e Marselha poderá levar cinco a sete anos a estar concluído e o objetivo é ser financiado por fundos europeus, disse, entretanto, o Governo espanhol.

Últimas Notícias
Mais Vistos