País

Velório de Carlos Melancia decorre na Igreja de São João de Deus

Velório de Carlos Melancia decorre na Igreja de São João de Deus
NUNO VEIGA

O óbito do antigo governador de Macau foi declarado no domingo, no hospital de São José, para onde foi transportado após uma queda.

O velório do antigo governador de Macau, Carlos Melancia, que faleceu este domingo, aos 95 anos, realiza-se hoje a partir das 17:00 na Igreja de São João de Deus, em Lisboa disse à Lusa fonte próxima da família.

As cerimónias fúnebres decorrem na terça-feira. O funeral sairá da igreja de São João de Deus às 11:00 para o Cemitério do Alto de São João, onde o corpo de Calos Melancia será cremado, adiantou a mesma fonte.

O antigo governador de Macau Carlos Melancia morreu este domingo à noite aos 95 anos, disse hoje fonte da família.

Carlos Melancia faleceu no hospital de São José, para onde foi transportado após uma queda.

Quem foi Carlos Melancia?

Licenciado em Engenharia, foi governador de Macau de 1987 a 1991 e ministro com as pastas da Indústria e Tecnologia, do Mar e Equipamento Social em vários governos socialistas.

Em 1991, demitiu-se na sequência do designado Caso do Fax de Macau, que envolvia financiamentos partidários do PS, um processo de que foi ilibado em 2002.

Na sua última entrevista à Agência Lusa, em 2019, Carlos Melancia recordou a sua gestão do território que já tinha data de entrega para a China acertada entre os dois países.

A Declaração Conjunta Sino-Portuguesa sobre a Questão de Macau foi assinada a 13 de abril de 1987, há 35 anos, e Carlos Melancia tomou posse como governador do território em julho desse ano, já para fazer cumprir o projeto de transferência da administração do enclave, que se concretizou em 1999.

Segundo o antigo governador, o que pretendia tanto a China como Portugal era que o território tivesse e caminhasse para a autonomia financeira, tendo sido feitos 300 milhões de euros de investimentos.

Exemplos dessa aposta na autonomia foi a construção do aeroporto para combater o estrangulamento dos transportes e a conclusão dos hospitais Chinês e de São Januário.

"Eu negociei isto tudo, mas quem acabou por os concluir [os projetos] foi o Rocha Vieira", disse então Melancia, referindo-se ao governador que o substituiu no cargo e que geriu o território até à transição da administração.

Últimas Notícias
Mais Vistos