País

Polémica em Almada: autarca manda calar munícipe

Numa reunião de Câmara, Inês de Medeiros diz que se sentiu ofendida com expressão usada por munícipe.

A discussão começou depois de uma cidadã ter questionado a ausência de uma resposta definitiva para os moradores do bairro do 2.º Torrão, que passou por um processo de demolição de dezenas de construções clandestinas.

A munícipe utilizou a expressão "Almada colonial", o que incomodou a presidente da Câmara, que disse que se sentiu ofendida, ao mesmo tempo que a mandou calar.

A vereadora do Bloco de Esquerda condenou a atuação de Inês de Medeiros. Na resposta, a autarca garantiu que se livrou de "toda a ação colonialista de Portugal há muito tempo".

  • O que devemos saber sobre o cancro hereditário?

    Notícias

    Em cada 100 pessoas com cancro, é possível que 5% destas desenvolvam síndrome do cancro hereditário. O cancro hereditário - doença rara - é o problema de saúde abordado por Carla Oliveira, investigadora principal no I3S, que recentemente descobriu o que provoca o cancro hereditário gástrico

    Sara Fevereiro