País

PSD quer voltar a ouvir João Gomes Cravinho no Parlamento com urgência

Loading...

O ex-ministro da Defesa nega ter autorizado o aumento da despesa nas obras do antigo hospital militar, mas um documento prova que terá sido informado há quase três anos.

O PSD quer voltar a ouvir João Gomes Cravinho com urgência no Parlamento sobre as obras do antigo hospital Militar. As últimas revelações sobre o caso mostram que o ministro afinal sabia que o custo iria ficar um milhão de euros acima do previsto. Até agora, Gomes Cravinho negou sempre ter dado autorização para o aumento da despesa.

Era a garantia deixada pelo antigo ministro da Defesa, agora ministro dos Negócios Estrangeiros, há um mês no Parlamento: nunca autorizou um aumento da despesa nas obras do antigo hospital militar, de Belém.

Inicialmente, o orçamento previa que tivesse o custo 750 mil euros, mas que acabou por custar praticamente o triplo. Agora, o jornal Expresso vem divulgar o documento que prova que, afinal, João Gomes Cravinho foi informado do aumento de custos há quase três anos.

Dizia que, ao custo inicial da obra, deviam ser acrescentados outros valores referentes a trabalhos extra solicitados pelo Exército, no valor de mais 420 mil euros. São ainda referidas outras exigências adicionais da nova direção clínica do hospital, que podiam chegar aos 500 mil euros.

Ou seja, o valor das obras ficava já 920 mil. No final, acabou por custar 3,2 milhões de euros – quatro vezes que o primeiro orçamento.

O PSD quer ouvir João Gomes Cravinho com urgência no Parlamento. O Presidente da República não quis comentar o caso, mas sugere que é mais um bom exemplo de como o questionário aos governantes deve ser usado também para aqueles que estão em funções.

A derrapagem no custo das obras do antigo hospital militar está a ser investigada pelas autoridades na operação tempestade perfeita. O ex-diretor-geral de Recursos de Defesa Nacional Alberto Coelho é já arguido por suspeitas de corrupção e branqueamento, juntamente com outros dois antigos ex-funcionários da mesma direção-geral.

Últimas Notícias