País

Incêndios: Governo não consegue alugar helicópteros

Loading...

Devido à inflação, as propostas apresentadas pelas empresas no concurso público ultrapassam o máximo definido pelo Estado.

O Governo está com dificuldades em alugar os 33 helicópteros necessários para o combate a incêndios. O preço disparou devido à inflação e as propostas apresentadas pelas empresas ultrapassam o máximo definido pelo Estado

O concurso público para alugar meios aéreos de combate ao fogo, lançado pela Força Aérea Portuguesa, em outubro, foi dividido em sete lotes. Cinco relativos a helicópteros ligeiros e dois para aviões anfíbios médios.

Para os lotes dos helicópteros, a Força Aérea Portuguesa tinha previsto gastar no máximo 42,6 milhões euros. Mas as melhores propostas apresentadas pelos concorrentes ultrapassam os 65 milhões.

Contas feitas, alguns valores apresentados custariam perto do dobro do valor limite do Estado. Por isso, foram todos excluídos do concurso.

O preço das aeronaves e dos componentes disparou com a inflação. Nas mãos do Governo está a promessa de lançar um novo concurso, o mais rápido possível. A confirmação foi dada pela Força Aérea Portuguesa ao jornal Público.

A previsão é que nove helicópteros comecem a operar em maio, enquanto os restantes 24 no início de junho. A Força Aérea Portuguesa diz que o valor para o aluguer foi estipulado com base na média dos preços praticados nos últimos quatro anos.

O preço não foi problema para o aluguer dos aviões anfíbios. O teto máximo era cerca de 20 milhões de euros e as propostas não foram além dos 18 milhões de euros.