País

Câmara de Lisboa volta a ser investigada, agora por suspeitas de favorecimento a deputado do PSD

Loading...

O acordo com o Belenenses Rugby e a autarquia está sob investigação.

Há mais uma investigação que envolve a Câmara de Lisboa durante a presidência de Fernando Medina. O Ministério Público suspeita que uma empresa do deputado Carlos Eduardo Reis poderá ter sido favorecida num negócio que envolve apoio da autarquia ao Belenenses Rugby.

A 25 de março de 2017, a autarquia de Fernando Medina cedeu o terreno e mais 200 mil euros para a criação do Rugby Park do clube. Este acordo está sob investigação do Ministério Público.

As escutas telefónicas, feitas no âmbito do processo Tutti-Frutti, terão denunciado o interesse de Carlos Eduardo Reis, no Rugby Park.

O deputado do PSD é dono da Ambigold, empresa à qual a belenenses Rugby já tinha adjudicado a obra.

Segundo a revista Visão, Sérgio Azevedo, ex-deputado social democrata terá sido o elo de ligação entre os dirigentes belenenses Rugby e Fernando Medina.

Uma ponte que terá resultado num contrato-programa com registo para a propriedade. Em causa estarão suspeitas de favorecimento que levaram a buscas no Departamento de Atividade Física e do Desporto, na segunda semana de janeiro.

A autarquia já foi alvo de mais duas visitas dos inspetores. As várias procuras de provas estão relacionadas com o processo Tutti-Frutti que está a ser investigado há cerca de 5 anos e ao qual o Ministério Público tem juntado vários outras investigações.

A Câmara de Lisboa estará envolvida em mais de uma dezena de processos, mas a alegada teia de corrupção que envolve várias cores políticas envolverá pelo menos 20 autarquias e já conta com dezenas de arguidos.

Últimas Notícias
Mais Vistos